sábado, 30 de janeiro de 2010

Entrevista com o Ev. Caramurú Afonso Francisco


Nesta feita convidamos o estimado irmão e amigo em Cristo Jesus Ev.Caramurú Afonso Francisco para nos falar de assuntos urgentes à vida da Igreja.Principalmente nestes dias que precede o iminente retorno do Mestre.Agradeço pela gentileza e presteza do Dr. Caramuru.



1. Qual a importância do ensino? E onde,ou.como se encaixa a EBD.

R: O ensino é fundamental, pois ele é a própria sobrevivência espiritual do cristão. Se ao sermos salvos por Cristo, “nascemos de novo”, tornamo-nos “uma nova criatura”, tem-se que esta “nova criatura” precisa sobreviver, crescer até que alcance a dimensão da eternidade. Esta sobrevivência dá-se pela alimentação, que Jesus disse ser a Palavra de Deus (Mt.4:4). Por isso, a Igreja tem de anunciar o Evangelho aos incrédulos, para que eles alcancem a salvação, mas também ensinar os crentes, para que eles possam sobreviver espiritualmente até o dia do arrebatamento da Igreja. A Escola Bíblica Dominical é a principal atividade de ensino da Igreja, porque, a um só tempo, reúne toda a Igreja para o aprendizado das Escrituras, dando oportunidade, que é única, de os crentes elucidarem suas dúvidas e, assim, aumentar a cada dia a firmeza na f é.




2.Vivemos uma desvalorização do que é realmente essencial e vital à igreja; a banalização do que é correto e a valorização do que é biblicamente errado. Qual deva ser a postura do professor de EBD frente a isso?
R: Os dias em que vivemos são os dias imediatamente anteriores ao arrebatamento da Igreja, dias de apostasia (I Tm.4:1), de esfriamento do amor de Deus em quase todos os crentes (Mt.24:12). Nesse momento, mais do que nunca, o professor de EBD deve ter a consciência de que foi chamado para “estar na brecha” (Ez.22:30), ensinando a verdade aos seus alunos, mostrando a eles que, em dias tão difíceis, não existe outra alternativa senão conhecer e viver o que ensina a Bíblia Sagrada. Somente o conhecimento da verdade libertará os crentes destas artimanhas malignas (Jo.8:31,32). Ora, para ter condições de desincumbir de tão árdua tarefa, o professor de EBD deve ser o primeiro a conhecer a Palavra, o primeiro a se dedicar ao estudo e ao ensino (Rm.12:7), o que exige dele um zelo superior aos dos demais no aprendizado, ensino e divulgação da verdade.


3.Temos uma identidade.Até que ponto mudanças são necessárias?
R: Quando dizemos que temos uma identidade, de pronto estamos a dizer que não podemos mudar de forma ilimitada, pois quem muda além de certos limites perde a própria identidade. As Assembleias de Deus no Brasil passam por um momento extremamente delicado, precisamente porque sofre uma crise de identidade. Tendo se formado de modo descentralizado, num país continental, nossa denominação sofreu muito o influxo da globalização, quando há uma tendência de uniformização, pela mídia, de nossa cultura segundo padrões estabelecidos nas grandes metrópoles e, até mesmo, segundo os países mais desenvolvidos do mundo, em especial dos Estados Unidos da América. Esta “padronização” está a seguir os parâmetros do “mistério da injustiça” (II Ts.2:7), do “espírito do anticristo” (I Jo.4:3). Assim, a Igreja sofre duplamente: além de haver uma ten tativa de sufocação de uma cultura localizada e regional, como toda manifestação sofre neste processo, também tem de lutar contra valores e princípios diametralmente opostos à sã doutrina. Para piorar, durante muito tempo, nossa denominação procurou construir uma identidade à luz de costumes, que são, precisamente, os elementos que mais sofrem com esta “padronização” e que, por serem humanos, não têm a imunidade que a doutrina, que é eterna, possui. Vivemos, pois, momentos em que é necessário reavaliar o discurso de identificação com base em costumes (discurso que está praticamente abandonado), mas, ao mesmo tempo, temos de resistir firmes na fé às astutas ciladas do diabo que, na revisão dos costumes, quer envolver os crentes com “mudanças doutrinárias”, o que é inadmissível, pois a Palavra de Deus permanece para sempre (I Pe.1:25). Assim, se é caso de revermos algumas normas puramente de costumes, como já fizemos no passado quando se aboliu a obrigatoriedade do uso do chapéu para os homens, não se pode admitir, em hipótese alguma, que se permitam comportamentos que afrontam a Palavra de Deus, como, por exemplo, já há alguém que entenda que se possa permitir seja o homossexualismo, seja a imoralidade e sensualidade nas vestimentas, por exemplo. Tudo isto se complica quando vemos que, ao contrário dos crentes do passado, aumenta hoje o “analfabetismo bíblico” dos crentes, pois eventuais mudanças exigem, antes de mais nada, que se saiba o que é doutrina e o que não é, e, evidentemente, não estamos em condição de tal discernimento na atualidade.


4.O preparo é extremamente importante ao professor de EBD.Como o professor deve se preparar e ser preparado? Do quê consta esse preparo?
R: Somente pode ensinar quem tiver aprendido. O professor de EBD deve ser, em primeiríssimo lugar, um assíduo e dedicado aluno na EBD. Infelizmente, muitas pessoas assumem a função de professor de EBD sem sequer ter sido aluno da EBD, o que não se pode tolerar. O professor de EBD deve ter bom conhecimento bíblico, ou seja, alguém que sempre tenha levado a sério a leitura devocional da Bíblia. Deve, também, ter conhecimento básico de didática, ou seja, da arte de lecionar, pois não basta que saiba a matéria, mas é fundamental que saiba transmiti-la aos alunos. Evidentemente, como o ensino é um dom ministerial (Ef.4:11), é algo destinado apenas àqueles que foram chamados por Deus para esta tarefa.


5. Uma palavra aos professores e trabalhadores da EBD.
R: Como professores da EBD, temos uma missão importantíssima nestes últimos dias da Igreja sobre a face da Terra, pois cabe a nós participarmos da resistência contra o engano que assola grande parte da Igreja nestes tempos trabalhosos. Cabe a nós uma importante contribuição nesta tarefa para impedir que muitos percam a salvação.

4 comentários:

Artur Ribeiro disse...

A paz do Senhor.

Ficamos muito felizes ao poder ler mais esta entrevista que o professor Caramuru concedeu.

Deus abençoe a todos!

A propósito, o irmão Caramuru também nos concedeu uma entrevita(http://blogdoarturribeiro.blogspot.com/2009/10/anda-com-os-sabios-e-seras-sabio.html), que gostaríamos que o caro lesse em nosso blog.

Um abraço,

Artur Ribeiro

Alan disse...

Parabéns pela entrevista!

Já fui aluno do Caramuru na FAESP e sei o quanto ele é um homem de Deus, sério e verdadeiro no que faz!

Ev. Alan G. de Sá
www.manejandobemapalavradaverdade.blogspot.com

c_m disse...

É uma satisfação poder ler uma entrevista deste grande servo de Deus. Tempos atrás fui muitro abençoado por seus comentários. Alguém poderia gentilmente me fornecer o endereço do blog ou email do estimado professor Caramurú? Já procurei de varias formas para contactar com ele sem sucesso...

Rose Andrade disse...

A paz do Senhor:
Alguém pode me fornecer o blog ou e-mail do Ev.Caramurú Afonso Francisco...mandem por meu e-mail...deboraadaliah@hotmail.com